Copa do Mundo de 1934 - o Primeiro Título da Itália





A Copa do Mundo de 1934 ainda não foi realmente bem organizada, e nem de longe era o evento Grandioso que um Mundial é hoje em dia. Ela teve 16 participantes em sua fase principal e foi jogada a partir das oitavas-de-final, tendo 12 seleções europeias e apenas 4 de fora do Velho Continente: Brasil, Argentina, Estados Unidos e Egito. O torneio foi todo jogado em mata-matas, e teve uma Itália histórica como campeã.

Se a Copa do Mundo de 1930 foi uma Espécie de Copa América com a participação de França e Iugoslávia, sem a presença das principais potências Europeias, a Copa do Mundo de 1934, pelo menos chegou mais perto de reunir a nata do Futebol Mundial. O torneio aconteceu na própria Itália, e esta foi a única vez na História em que o atual Campeão, no caso o Uruguai, não defendeu seu Título, e a única vez, em que o país-sede participou das Eliminatórias para a Copa. Os Uruguaios, não quiseram participar por questões financeiras, e pela não participação de países europeus, como a própria Itália, em 1930.

Após um grande processo de seleção, o comitê executivo da FIFA determinou a Itália como sede deste Mundial, no dia 9 de outubro de 1932. A Itália chegou bem credenciada ao Mundial de 1934. A equipe havia vencido anteriormente a Taça Gero, versão de seleções da na época importante Copa Mitroppa. O torneio reunia a grande seleção da época, a Áustria de Hugo Meils e Mattias Sindelaar, e as já ascendentes Hungria e Tchecoslováquia.

O Técnico Italiano Vittorio Pozzo não hesitou em convocar o que tinha de melhor na época, desde o craque Giuseppe Meazza, até os chamados oriundi ou rimpatriati, atletas com ascendência Italiana, nascidos na América do Sul, e que recebiam a dupla nacionalidade. Dos Oriundi, quem mais chamava a atenção era o Argentino Raimundo Orsi, então um dos melhores jogadores do planeta, que deixou de defender a sua pátria Natal para atuar pela Azzurra. Se juntavam a ele Guarisi, nascido no Brasil, e mais três argentinos: Enrique Guaita, Luís Monti e Atillio Demaria.

Para chegar ao Mundial, a Itália teve que passar pela Grécia nas Eliminatórias. A seleção da Bota enfiou um 4 x 0 na seleção dos Deuses, que nem jogou a partida da volta. No sorteio da primeira fase do Mundial, as oitavas-de-final, as oito seleções consideradas mais fortes, foram as cabeças de chave: Alemanha, Argentina, Áustria, Brasil, Holanda, Hungria, Itália e Tchecoslováquia.

Já na disputa do Mundial, no jogo inaugural do torneio, em Roma, novamente a Itália não teve problemas para passar pelos EUA, vencendo por um tranquilo 7 a 1. Schiavio, que seria o artilheiro desta Copa do Mundo, marcou 3 gols neste jogo, e um destes foi o de número 100 da história das Copas, consagrando para sempre o artilheiro italiano. Mas nem todos os cabeças-de-chave tiveram vida fácil. A Áustria suou para derrotar a França em Turim por 3 a 2, e Brasil , Argentina e Holanda foram eliminados de primeira, respectivamente por Espanha (1 a 3 em Genoa), Suécia (2 a 3 em Bologna) e Suíça (2 a 3 em Milão). A Checoslováquia encontrou dificuldades, mas venceu a Romênia por 2 a 1. A Hungria suou para eliminar o modesto Egito, em Nápoles, vencendo por 4-2. E mesmo a Alemanha teve problemas para eliminar, em Florença, a Bélgica, vencendo por 5 a 2.

Nas quartas-de-final, tivemos alguns jogos épicos. Os austríacos venceram a Hungria por 2 a 1, em Bolonha. Em Florença, com muita polêmica e reclamação contra a arbitragem, que anulou dois gols legítimos da Espanha, a seleção da casa passou pela Fúria, com uma vitória por 1 a 0 na partida desempate, após um empate em 1 a 1 na véspera, em 210 minutos de futebol muito intenso. No estádio Benito Mussolini, em Turim, Checoslováquia e Suíça fizeram mais um confronto. A Suíça chegou a sair na frente, mas a Checoslováquia acabou virando o jogo para 3 a 2, e assegurou a sua classificação para as semifinais.  Já no estádio Littoriale, em Bolonha, Áustria e Hungria se enfrentaram, para ver quem ficava com a última vaga para as semifinais. A partida foi bem equilibrada e violenta, e teve a Áustria vencendo a Hungria pelo placar de 2 a 1. Vale lembrar que antes da Primeira Guerra Mundial, existia o império austro-húngaro, e só depois dela houve a separação, o que explica tanta rivalidade.

Mais polêmica ainda geraria a semi-final. Novamente com muita controvérsia, a Itália bateu o Wunderteam da Áustria do técnico Hugo Meisl, que chegou a pensar em abandonar o campo de jogo, por se sentir atrapalhada pelo trabalho do árbitro. Na outra semifinal, a Checoslováquia bateu a Alemanha por 3 a 1. Na decisão, a Itália bateu de virada a Checoslováquia por 2 a 1 e confirmou o Título, que desde o começo, parecia questão de tempo para estar na mão da Azurra.


Resultados da Copa do Mundo de 1934:



Oitavas-de-final


27/05 - Itália 7 x 1 Estados Unidos
27/05 - Tchecoslováquia 2 x 1 Romênia
27/05 - Alemanha 5 x 2 Bélgica
27/05 - Áustria 3 x 2 França
27/05 - Espanha 3 x 1 Brasil
27/05 - Suíça 3 x 2 Holanda
27/05 - Suécia 3 x 2 Argentina
27/05 - Hungria 4 x 2 Egito



Quartas-de-final

31/05 - Alemanha 2 x 1 Suécia
31/05 - Áustria 2 x 1 Hungria
31/05 - Itália 1 x 1 Espanha
01/06 - *Jogo desempate Itália 1 x 0 Espanha
31/05 - Tchecoslováquia 3 x 2 Suíça


Semifinal


03/06 - Itália 1 x 0 Áustria
03/06 - Tchecoslováquia 3 x 1 Alemanha



DISP. 3°. LUGAR


07/06 - Alemanha 3 x 2 Áustria



FINAL


10/06/1934



Itália 2 x 1 Tchecoslováquia


Local: Estádio Nacional de Roma


Escalações:

Itália: Combi; Monzaglio, Allemandí, Ferraris IV, Monti, Bertollini, Gualta, Meazza, Schiavio, Ferrari e Orsi. Técnico: Vittorio Pozzo

Tchecoslováquia: Planicka; Zenisek, Ctyroky, Kostalek, Cambal, Krcil, Junek, Svoboda, Nejedly e Puc. Técnico: Karel Petru

Artilheiros: Conen (Alemanha), Nejedly (Tchec.) e Schiavio (Itália).

Destaque: Meazza (Itália).
Tecnologia do Blogger.